quarta-feira, dezembro 02, 2009

Hoje tem Roda de Samba no Largo de São Sebastião


Casqueta, eu e Caio do Cavaco numa roda de samba improvisada na casa da Tia Augusta, no final dos anos 90

Nesta quarta feira, a partir das 19h30, no Largo de São Sebastião, o músico Junior Rodrigues, em parceria com o Tacacá na Bossa, comemorará o Dia Nacional do Samba (sim, é hoje, homeboys!), com a presença de vários convidados.

Olhem só os cobras criadas que já confirmaram participação no evento: Mestre Pinheiro, Assis Almeida, Auzier do Samba, Mestre Arnoldo, Wilsinho de Cima, Cid Proálcool, Caio do Cavaco, Edu do Banjo e Duduzinho, Casqueta, Cristina Oliveira, Rosângela, Celestina, Liz Araújo, Serginho Insensatez, Chico da Silva, Paulo Onça e Zé Mário.

O Dia Nacional do Samba surgiu por iniciativa de um vereador baiano, Luis Monteiro da Costa, para homenagear Ary Barroso, em 1940.

Ary já tinha composto seu sucesso “Na Baixa do Sapateiro”, de 1938, onde homenageava a capital baiana, mas nunca havia estado na Bahia.

Esta foi a data em que ele visitou Salvador pela primeira vez. A festa se espalhou pelo Brasil e virou uma comemoração nacional.

Surgido originalmente nos terreiros da Bahia e tendo se espalhado, depois, por todo o Brasil, o samba adquiriu as características musicais de cada região.

Esse fato fez com que o gênero crescesse bastante, a partir de suas inusitadas misturas de ritmos, se tornando um autêntico símbolo da musicalidade brasileira.


Samba de Roda - É considerado Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade e utiliza-se basicamente de pandeiro e atabaques. Como o nome sugere e o samba exige, a dança acontece no mesmo momento em que se canta. Uma variante bastante conhecida do samba de roda são as rodas de capoeira com a introdução de mais um instrumento: o berimbau.

Samba-corrido - Também conhecido como samba-chulado, teve principal influência do samba-rural e a troca do berimbau pela viola caipira. Uma característica interessante é o momento da dança. No samba chulado a dança ocorre depois do canto, só com a música instrumental.

Samba-maxixe - Aqui temos um bom exemplo de mistura musical de ritmos: o maxixe é uma adaptação brasileira da polca européia e, apesar do maxixe ter surgido oficialmente antes do samba, a mistura entre os dois ritmos é bastante complementar. A principal característica musical é a inserção do piano, às vezes substituído por algum instrumento de sopro mais agudo como a flauta ou o clarinete.

Samba-enredo - Como o nome sugere, tem por principal característica a sua letra evocativa sobre determinado tema, sendo mais utilizado no carnaval de rua. A característica musical mais marcante é a introdução da percussão como ritmo predominante por meio das baterias de escolas de samba. Um instrumento percussivo bastante característico é a cuíca.


Samba de gafieira - Extremamente utilizado na dança, terminou também tendo como alcunha o nome de samba de salão. Para que essa adaptação fosse completa houve inserção de vários elementos rítmicos do mambo e do jazz, assim como a criação de uma linguagem musical relativamente nova.

Samba-choro - Assim como maxixe, o choro é uma adaptação, um regionalismo criado a partir de um ritmo europeu: a valsa. No samba-choro ocorreu a miscigenação dos dois ritmos. Com isso a atuação de instrumentos de sopro se tornou mais evidente.

Samba-canção - Outra adaptação de ritmos, lembrando um bolero bastante sincopado ou como alguns dizem um samba mais leve, tendo só o violão e a voz sambada. Parece a fórmula simples da bossa-nova? Pois foi a partir desse ritmo que a bossa-nova se estabeleceu.

Samba de breque - Com evidentes influências nordestinas do Repente, tal divisão se caracteriza pela parada repentina da melodia para que a voz faça uma pequena declaração. Exemplo importante desse estilo é Moreira da Silva.

Samba-rock - Com o surgimento do rock era improvável que o samba ficasse intocável e ninguém o mesclasse com o novo ritmo. A bateria se torna presente de maneira contundente, mas é válido lembrar que a percussão diferencia-se enormemente da bateria enquanto instrumento musical. Jorge Ben e Bebeto são os gênios da raça.


Pagode ou partido alto - O partido alto tinha por característica principal a improvisação. É considerado o tipo de samba que mais se aproxima do batuque angolano. Bezerra da Silva é um grande nome para ser citado, assim como Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Candeia, Jorge Aragão, Dona Ivone Lara, Jovelina Pérola Negra, Lecy Brandão e Sombrinha, dentre outros.

Por se tratar de um ritmo que se adapta de maneira simples, enriquecendo a música como um todo, as subdivisões do samba comportam misturebas mais estranhas ainda, como sambalada, samba-funk e samba-reggae.

Para maiores informações:

http://www.samba-choro.com.br/

http://www.brasileirinho.mus.br/artigos/bebadosamba.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Samba

http://almanaque.folha.uol.com.br/samba.htm

Nenhum comentário: