quarta-feira, abril 20, 2011

Causos de Bambas: Bororó



Alberto de Castro Simões da Silva, o famoso compositor Bororó (A Cor do Pecado, Curare), sobrinho da Marquesa dos Santos, carioquíssimo, foi um dia visitar um amigo, que morava no 8º andar de um edifício de Copacabana.

O visitado não estava e a empregada, solícita, convidou-o a entrar e esperar o dono da casa.

Bororó ficou sentado na sala distraindo-se com um exemplar da Manchete, como sempre antiquíssimo, e afagando a barriga de um gatinho branco, angorá.

Passa-se o tempo. Mais. Passa-se muito tempo.

Bororó desiste da espera e vai procurar a empregada para despedir-se e agradecer.

A porta do corredor para os quartos e a cozinha está trancada.

A empregada tinha saído.

Bororó deixa um cartão e vai embora.

Impossível. A doméstica, esquecendo-se do visitante, ao sair, trancara a porta da rua.

Ilhado, o compositor vê aproximar-se a sua sagrada hora de ir ao banheiro que finalmente chega e não dá para segurar.

No desespero, Bororó abre a Manchete e deposita lá sua cagadinha (maneira de dizer. Estava mais para ona).

E limpa a bunda com o gato angorá.

Nenhum comentário: