Pesquisar este blog

terça-feira, junho 28, 2011

Deu Garantido na cabeça! Que merda...


Texto: Marcondes Maciel /Fotos: Paulo Sicsú

O boi bumbá Garantido é o campeão do Festival Folclórico de Parintins 2011.

A contagem dos votos de nove jurados iniciou por volta das 15h desta segunda-feira, 27, na sala de imprensa da Agecom no Bumbórdromo.

A agremiação foi campeã também no item galera como a melhor torcida do festival.


De acordo com o presidente Telo Pinto a vitória é dedicada principalmente a Nação Vermelha e Branca, torcedores apaixonados que deram a vibração positiva para o Garantido.

- É uma vitória de superação e de muita garra, afirmou Telo.

Ele parabenizou as tribos que compuseram o conjunto indígena na arena do bumbódromo, grupos de danças vindos da cidade de Juruti no Pará, Macapá, Nhamundá, Barreirinha, Maués e Manaus.

O boi Garantido teve no computo geral 1.258,8 pontos e o boi contrário apenas 1.258,6.


O apresentador Israel Paulain foi imbatível em todas as noites.

O levantador de toadas Sebastião Júnior levou a melhor em cima do levantador de toadas do contrário.

A sinhazinha Ana Luisa Faria também superou o mesmo item do contrário.

De modo geral todos os itens foram vencedores neste festival.


Após o resultado oficial, uma multidão formou um mar vermelho e saiu pelas ruas da cidade comemorando o título de campeão em cima de um trio elétrico.

Alguns integrantes do Garantido com o microfone na mão vez e outra davam um grito “Boiuuuunaaaaaaa”, em um tom desafinado e rouco, em uma sátira ao levantador do contrário que perdeu em seu item.

“Perdeu pro Sabá, Perdeu pro Sabá, Perdeu pro Sabá....”. Esse era um dos refrãos que a galera entoava durante a passeata.

A festa iniciou ainda no bumbódromo, mas toda a cidade comemorou, numa demonstração da grandiosidade da galera do Garantido.

A concentração aconteceu no curral Lindolfo Monteverde, na Cidade Garantido.

Veja abaixo o mapa de apuração geral:



Nota do Editor do Blog:

Eu só não vou chamar os filhos da puta dos jurados de ladrões com a mãe na zona porque aqueles cornos não merecem.

O Caprichoso perdeu por dois décimos porque um jurado deu 9,7 para o David Assayag, o melhor cantor amazonense de todos os tempos.

O que qui se faz com um jurado desses? Entrega pro Manicão da penitenciária Anisio Jobim? E se ele gostar da experiência?

Fora esse pequeno detalhe técnico, quem assistiu aos três dias do festival e viu o baile que o Caprichoso deu no contrário nas três noites deve estar puto nas calças. Que nem eu.

Felizmente, a vida não se resume a festivais...

4 comentários:

Anônimo disse...

hehehehehehe...

Meu coração é vermelho...

kkkkkkkkkkkkkkkk

jdaniel disse...

Simão,

Meu nome é Daniel. Resido em Brasília, sou candango, mas trabalhei muitos anos nos estados amazônicos. Descobri os BOIS em 1982. Admirava o festival, mas a toada "Vermelho" foi a gota d'água que GARANTIU a opção. O comentário acima foi meu, no dia de ontem, e se já o admirava como escritor, agora o admiro como pessoa, pelo simples fato de publicá-lo. Receba um grande abraço de um admirador anônimo e distante, mas fiel na leitura diária do seu blog.

simao pessoa disse...

Caro Daniel, 80% dos meus melhores amigos de Parintins torcem pelo Garantido. Eu também sei que, em termos comparativos, o Touro Branco possui umas 50 toadas inesqueciveis (incluindo Vermelho) contra umas dez (incluindo Ninguém gosta mais desse boi do que eu) do Touro Negro. O problema é que sempre gostei de ser minoria - tanto que continuo heterossexual convicto e louco por mulheres. Agora, que os filhos da puta dos jurados estavam com a mãe na zona para darem aquelas notas escrotas para o Caprichoso está fora de questão. Um forte abraço e parabéns pelo título!

jdaniel disse...

Caro Simão,

Não seja tão amargo em relação aos jurados. A vida não é feita apenas de festivais e derrotas. Sempre haverá a esperança de vitória, que talvez possa vir, quem sabe, um dia... Mas enquanto ela não vier você poderá se deliciar o belo espetáculo rubro. Isto eu GARANTO. Sobre gostar de ser minoria, também me enquadro nessa que você citou. Abraço!