Pesquisar este blog

sexta-feira, setembro 30, 2011

Filme gay sobre Jesus Cristo? Que história é essa?


Por Renata Cicilini Teixeira

Os boatos e as correntes na Internet têm algo em comum: fazem um apelo para serem enviados a todas as pessoas que você conhece.

Estes e-mails se apresentam com diversos tipos de conteúdo, sendo na maioria das vezes histórias falsas ou antigas.

Para atingir seus objetivos de propagação, os boatos e correntes apelam para diversos métodos de engenharia social.

Lembrando que engenharia social é um método de ataque que visa persuadir o usuário, valendo-se da ingenuidade ou confiança, com a finalidade de obter informações privilegiadas ou confidenciais.

Os boatos (hoaxes) são textos que contam histórias alarmantes e falsas, que instigam o leitor a continuar sua divulgação.

Geralmente, o texto começa com frases apelativas do tipo: “envie este e-mail a todos os seus amigos...”, “envie este e-mail a todas as pessoas que você ama...”.

Algumas classes comuns de boatos são:

1. Aqueles que apelam para a filantropia e solidariedade, sentimentos inerentes a grande maioria dos seres humanos.

Como exemplos têm-se os casos de crianças com doenças graves ou raras.

2. Aqueles que difamam empresas ou produtos, prometem brindes ou ganho de dinheiro fácil.

Existem vários exemplos, dentre os mais antigos estão a distribuição gratuita de telefones celulares e as viagens gratuitas a Disneyworld.

Em abril deste ano, presenciamos um boato prometendo uma cesta de produtos Nestlé da linha 2003 como brinde!

3. Aqueles que falam de código malicioso, como vírus, por exemplo.

Neste caso, a mensagem sempre faz referência a vírus poderosíssimos, capazes de destruir seu computador e assim por diante.

Um dos mais famosos é o Good Times, que circulou na rede durante anos e de vez em quando, ainda aparece um exemplar remanescente, enviado por usuários novatos.

No Brasil, um boato histórico e com grande repercussão foi sobre o roubo da Amazônia.


O hoax da vez é um dando conta de que está para estrear um filme sobre a suposta vida homossexual de Jesus Cristo!

Segundo o site Snopes, essa história é mais antiga do que a própria Internet, pois já circulou um boato semelhante a esse em 1984 e, um ano depois, mais de um milhão de cristãos já haviam escrito cartas protestando contra esse filme.

De 2001 para cá, várias versões surgiram, inclusive em inglês, francês e espanhol.

Esse boato pode ter se originado de uma peça de teatro chamada “Corpus Christi”, onde o ator e roteirista Terrance McNally conta o fracasso homossexual entre Judas e Jesus Cristo (esse é chamado de Joshua na peça).

De acordo com o jornalista Clark Hoyt, “quando Terrence McNally produziu o espetáculo teatral Corpus Christi pela primeira vez, há 10 anos, o teatro Manhattan Theater Club recebeu ameaças de incêndio e assassinato da equipe. A peça chegou a ser cancelada, mas acabou estreando após protestos da comunidade teatral. Na ocasião, o público tinha que passar por detectores de metal.”

A peça foi um completo fracasso de público e saiu de cartaz em poucas semanas porque era de extremo mau gosto.

Nunca ninguém cogitou em transformar aquela porcaria em filme.


Segundo a mensagem do novo hoax, habitantes de diversos países europeus fizeram um “abaixo assinado virtual” e funcionou, quer dizer o filme sobre a suposta vida homossexual de Jesus Cristo não foi exibido.

Ora, o filme não foi exibido porque não existia e não por conta dessa mensagem que, ao final, deveria ser remetida para quem mesmo?

Ninguém.

Depois de alguma trégua, a mensagem voltou a circular no final de 2004 e início de 2005 e terminava com o apelo: “Quando as assinaturas da lista atingirem 500 nomes (ou seja, quem for o numero 500 da lista), por favor mande a mensagem para homasg@softhome.com.”

Quem enviar mensagem para esse endereço vai receber como resposta:

homasg@softhome.net has been canceled for abuse

Ou seja, o endereço de e-mail foi cancelado devido a abuso (uso indevido).

O fato do hoax estar de volta mostra apenas a falta de imaginação dos novíssimos terroristas cibernéticos...

2 comentários:

José Ribamar Mitoso disse...

Simão, escrevi um texto para oJornal do Comércio sobre a mudança na estrutura sintática do Nheengatu. Da fórmula s+o+v (a su barra kiti) estava sendo "engolido" pela forma sintática da língua portuguesa: s+v+o ( a su kiti barra) . Isto é: Eu vou para Manaus, ao invés de eu para Manaus vou. Citei a frase " muita saúva e pouca saúde os males do Brasil são". Um cara quis discutir a autoria da frase , que tupinizou a estrutura sintática da língua portuguesa.Só queria a carniça, pois não entendia bulufas de línguística.Respondi como se deve. Mandaram um email para ele no qual eu o chamo de viado.Com a minha conta. Rapaz, a internet tá foda, mano!

Lawlyet_w disse...

A ultima foto nao é da peça heretica, mas de um musical chamado Jesus Christ Superstar.