terça-feira, março 27, 2012

Aula 20 do Curso Intensivo de Black Music: Lighthouse Family


O Lighthouse Family vem da Inglaterra e é formado pelo multiinstrumentista e compositor Paul Tucker e pelo carismático vocalista nigeriano Tunde Baiyewu.

Em 1983, Tucker deixou sua cidade natal, Londres, e passou a viver em Newcastle, onde começou a compor e trabalhar como músico em vários bares da cidade, sem conseguir muita projeção.

Enviou algumas demos com canções suas a alguns selos ingleses, mas sem conseguir resposta, vendeu seus instrumentos e desistiu da vida pelos bares.

No entanto, Tucker acreditava no poder de suas letras, o que ele precisava era de um cantor.

Na busca desta milagrosa voz, alguns amigos lhe recomendaram Tunde, que também passava a vida de bar em bar se apresentando em Newcastle.

Os dois se conheceram e imediatamente se identificaram, pois tinham praticamente os mesmos gostos e afinidades musicais.

“Minhas músicas precisavam de uma voz suave, amena, natural e intimista. Eu sempre compus como se estivesse conversando com um amigo”, diz Tucker. “Quando conheci Tunde vi nele todas essas qualidades”.


A dupla começou então a mandar diversas demos para as gravadoras inglesas.

Foi quando Colin Balow, da gravadora Polydor, ouviu o Lighthouse Family pelo telefone e se apaixonou no ato.

“A música me encantou de tal forma que peguei o primeiro avião e fui ao encontro deles. Na primeira vez que vi Tunde cantando, percebi que ele havia nascido para brilhar, para ser uma estrela”.

O primeiro álbum da dupla, “Ocean Drive”, foi lançado em 95 e vendeu tímidas 10 mil cópias, apesar dos elogios da crítica.

A coisa começou a mudar no início de 96, quando foram lançados os remixes de “Lifted”.

Assinados por Linslee, “Lifted” perdia o clima intimista e ganhava um groove dançante, principalmente pela ledzeppeana levada do refrão.

O álbum, que já havia sido retirado do mercado, voltou a ser lançado em março de 96 e um ano depois já havia conquistado o duplo de platina, o que corresponde no Reino Unido a mais de dois milhões de cópias vendidas.


O hit “Lifted” foi o ponto de partida do Lighthouse Family.

As rádios passaram a executar massivamente o disco da dupla: as músicas tocavam direto tanto na dançante Kiss FM como na sisuda BBC.

O segundo single, “Goodbye Heartbreak”, também remixado por Linslee, foi lançado em meados de 96 e manteve aquecidas as vendas do álbum que simplesmente se esgotaram no natal de 96, quando foi lançado o single “Loving Every Minute”, desta vez remixado por Cutfather & Joe.

Em 97, o Lighthouse Family lançou seu segundo álbum, “Postcards From Heaven”, sendo que os singles “High” e “Lost In Space” catapultaram a dupla para o estrelato nos mercados americano, brasileiro e japonês.

A mistureba balanceada de ritmos africanos, soul music e rhythm’n’blues, tendo como suporte letras românticas sobre o cotidiano de pessoas comuns, contribuiu para que a dupla alcançasse novas audiências e ampliasse sua influência sobre a black music do novo milênio.

Não foi pouca porcaria.

Nenhum comentário: