terça-feira, julho 21, 2015

É possível comer a carne onde se ganha o pão? (1)


A confusão começou quando a natureza entendeu que, na reprodução assexuada, as partes do organismo que se dividia carregavam os mesmos defeitos genéticos da célula-base. A partir daí, há cerca de 600 milhões de anos, a reprodução sexuada saiu na frente na corrida da evolução.

Um tempinho depois veio a ideia de juntar pessoas em um mesmo escritório. É claro que essa combinação ia trazer encrenca. Mas, por outro lado, não havia muita opção: os organismos unicelulares – embora menos sujeitos a distrações – são funcionários altamente improdutivos, o que provavelmente obrigou as empresas a colocar seres sexuados em seu lugar.

A consequência surgiu na forma de casos no trabalho. Devo ter um caso no trabalho? A pergunta está errada. A pergunta certa é: “Vou conseguir escapar de ter um caso no trabalho?” A resposta provavelmente é não.

Compare o número de horas que você passa no escritório com o tempo que passa na balada procurando companhia para compartilhar a sua carga genética. Some a isso o efeito “confinamento”. A Claudinha da contabilidade, por exemplo. Na balada, talvez ela recebesse uma nota 6. Provavelmente não estaria sequer entre os seus alvos preferenciais. Mas, na moldura de referência (procure no Google) específica da empresa, ela é a fêmea alfa, cobiçada pelo presidente e pelo office boy. Você vai acabar se sentindo tentado. Porque sexo com a fêmea alfa é uma afirmação de poder. Portanto, um imperativo biológico.

Pergunte para os bonobos, entre os quais a fêmea alfa frequente e publicamente se combina com os machos beta (mas não espere respostas muito elaboradas, lembre-se de que eles são macacos e estão mais interessados em fazer sexo do que em conversar com você). Além disso, as empresas costumam reprovar casos entre seus funcionários. Ou seja, transar com a Claudinha significa foder com ela e com seu empregador ao mesmo tempo.

É em razão do efeito “confinamento” que geralmente veterinários tendem a ter casos com veterinárias, bancários com bancárias e estrelas de cinema com outras estrelas de cinema (sem bem que, neste último exemplo, eles costumam ser extraordinariamente lindos e ricos; isso também pode ter algo a ver).

Existe uma presunção de que ambientes menos glamurosos estimulem menos a associação para fins reprodutivos. Errado. Transa-se tanto nos estúdios de Hollywood quanto na lotérica São Joaquim, no subúrbio de Hortolândia. Os envolvidos é que são menos glamurosos (ainda que os últimos contem com a vantagem de despertar menos interesse da imprensa). Misturar jogo de poder com sexo traz imensos problemas. E é por isso que você está imaginando a Claudinha de lingerie preta neste exato momento.

Nenhum comentário: