quarta-feira, julho 22, 2015

É possível comer a carne onde se ganha o pão? (3)


Se você está pensando que vai descolar uma promoção pegando a mulher do chefe, gafanhoto, vá com calma que isso é danado pra dar capim na palheta. A não ser que você tenha se convertido recentemente ao fundamentalismo do Estado Islâmico e acredite naquela conversa fiada de que sendo mártir em uma guerra santa (“jihad”) receberá de prêmio 171 virgens saradas no sétimo céu. Pelas barbas do profeta, gafanhoto, se oriente!

Sim, sei, sabemos, é uma decisão corajosa e quase suicida, não é? Mas não muito original. Pegue os gorilas, por exemplo. A maior parte dos gorilas adultos abandona sua comunidade natal e vai em busca de fêmeas em outros agrupamentos. Outra parte, entretanto, permanece no grupo em que cresceu, vira subordinada do macho alfa e busca conseguir favores sexuais das fêmeas, sempre escondido do líder.

A palavra-chave aqui é escondido. O gorila costuma atacar com extrema ferocidade os machos que se aproximam de suas fêmeas. Como um gorila adulto pode pesar 200 quilos, você faz a conta do tamanho do risco. Essa estratégia reprodutiva dos machos beta vem funcionando porque os gorilas desconhecem a instituição do divórcio. E, consequentemente, nenhum naturalista NUNCA flagrou uma fêmea gorila dizendo: “E tem mais: eu dei para seu empregado, o fulano. E ele é melhor na cama do que você”.

Ou seja, entre nessa por sua conta e risco. É divertido se vingar do cara que enche o seu saco quando você se atrasa. É divertido, num sábado à noite, na mesa de um boteco, falar para seus parceiros: “Conhece a fulana, aquela socialite cheia de marra, esposa do meu chefe? Estou comendo. E é barba, cabelo e bigode...” É divertido se sentir admirado pelos seus parceiros como se você fosse o próprio sal da terra. Mas a sua proteção é inversamente proporcional à força do casamento dele. E a fêmea do casal transou com você.

Ah, sim, GrigoriyRasputin – o famoso místico e picareta russo – fez isso com a czarina Alexandra Feodorovna. Não contente em assassiná-lo, o príncipe Yussopoff ainda providenciou para que ele fosse sodomizado e castrado antes do fim. Tudo isso em um jantar oferecido pelo próprio Yussopoff em sua mansão imperial. O que nos ensina duas lições valiosas: 1. O príncipe era um péssimo anfitrião; 2. Transar com a mulher do chefe gera ressentimentos.

Nenhum comentário: