quarta-feira, agosto 12, 2015

O verdadeiro técnico da Seleção Canalhinha


Todo brasileiro é um técnico de futebol frustrado. Deus é brasileiro. Logo, Deus é um técnico de futebol frustrado?... Errado. Como Deus tudo pode, é provável que Ele seja o verdadeiro e eterno técnico da seleção, e os mortais que assumem a função apenas suas fachadas.

Todos os técnicos da seleção brasileira seriam, na realidade, prepostos de Deus, o que explica o seu ar arrogante e sua recusa em aceitar nossos palpites. Só a certeza de terem uma delegação divina explica que os técnicos da seleção ignorem, sistematicamente, os conselhos dos que entendem de futebol mais do que eles – nós – e se julguem os donos da verdade. Nenhum ainda confessou que recebe orientações diretamente de Deus, mas isso está implícito na sua soberba.

Que Deus é o técnico vitalício do Brasil pode ser provado, e não apenas pela quantidade de Copas que vencemos e pela nossa superioridade incontestada no futebol em priscas eras. As próprias derrotas do Brasil são da responsabilidade de Deus, para não dar muito na vista e manter a ficção da sua neutralidade. A derrota de 7 a 1 para a Alemanha foi o jeito que o Todo-Poderoso encontrou para nós voltarmos a encontrar a humildade perdida.

Além disso, Deus, nas alturas, está na posição que todos os técnicos consideram a ideal para ver o jogo. Mas como é onipresente pode estar lá em cima e falando com o seu auxiliar do lado do campo ao mesmo tempo, sem a necessidade de walkie-talkie ou celular.

Se Deus precisa disfarçar, de vez em quando, que é o verdadeiro técnico do Brasil, seus delegados na Terra nem sempre têm esse cuidado. O ar de auto-satisfação do Dunga que tanto irrita seus colegas, o resto da população, é na verdade uma falha no disfarce.

Está na cara do Dunga que ele se reúne periodicamente com Deus para tratar da estratégia da seleção e que nós podemos estrilar à vontade, porque ele só deve satisfações ao seu Chefe.

Agora dizem que a perspectiva de enfrentar o Chile deixa até Deus preocupado. “Essa nem Eu arrisco um palpite”, costuma dizer o Todo-Poderoso, encurvado sobre os seus esquemas. É esperar pra ver! (LFV)

Nenhum comentário: