Pesquisar este blog

sexta-feira, agosto 05, 2016

Starchild, uma paixão avassaladora


Conheci a Starchild em agosto de 2009, no Bar do Jorge, localizado nas proximidades do campo da CEAM, em Petrópolis.

Rainha do Canto do Villas, um time de velhos homeboys de São Francisco, que estava disputando o Peladão do jornal A Crítica, Starchild estava aniversariando naquele dia.

Fui intimado pelos cachorros a pagar duas grades de cerveja pela efeméride – e claro que eu, meu irmão Simas Careca Selvagem e meu primo Giovanni Gigio detonamos uma das grades pagas. Também não sou tão otário assim.

Na época, Starchild estava casada com um dos jogadores do Real Madrid, um dos times ali daquela área.

Ela tinha 17 anos e uma beleza iridescente. Nunca mais a vi.


Dois anos depois, em março de 2011, Starchild estava descasada, havia voltado a morar com os pais, mas precisava de um emprego para se manter. Ela me procurou. Começamos a namorar.

Eu comecei a lhe chamar de Starchild pela sua meiguice, carinho e gentileza. Mesmo quando está puta da vida, a doida é incapaz de dizer um palavrão.

E é divertida, muito divertida. Rimos muito quando estamos juntos.

Na época, eu precisava de uma digitadora para um livro sobre o senador Fábio Lucena, que eu e meu cunhado Antônio Diniz estávamos escrevendo.


Diariamente, o Diniz me abarrotava com dez xerocópias de artigos publicados na imprensa pelo Fábio Lucena, durante os anos 60, 70 e 80, e aquilo dava uma mão-de-obra federal para digitar. A Starchild aceitou o emprego.

Quando os quase 2 mil artigos do Fábio Lucena foram digitados, ela topou continuar no emprego dessa vez digitando velhos recortes de jornais sobre o Festival Folclórico do Amazonas.


Em 2014, no mesmo ano em que o livro “O Templário de Barcelos – A Saga de Fábio Lucena da Planície ao Planalto” foi publicado, Starchild passou no vestibular de Nutrição do Centro de Ensino Uninorte.

Ela começou a estudar à noite, custeando as mensalidades da faculdade com seu salário de digitadora.


Em 2015, Starchild arranjou um emprego como vendedora de uma loja de bebidas e passou a digitar meus textos nas folgas de fim de semana. Nunca atrasou um único prazo de fechamento. É uma autêntica guerreira.

No próximo dia 8 de agosto, ela estará completando 24 anos de idade. E nós dois, mais de cinco anos de namoro.

Nunca termos brigado ou discutido ao longo desse tempo todo diz mais da personalidade dela do que da minha. O tipo da paixão que não se mede.


Por tudo isso, feliz aniversário, minha princesa!


E que Deus continue iluminando seu caminho por que você faz por merecer. 

Beijão no coração.

Nenhum comentário: