terça-feira, setembro 30, 2014

Banksy exibe nova pintura na Inglaterra



Em seu site oficial, Bansky mostra o mais novo trabalho

Uma nova obra misteriosa do artista britânico Banksy, chamada “Art Buff”, apareceu no muro de um edifício da cidade de Folkestone, no condado de Kent, região sudeste da Inglaterra) informaram nesta terça-feira, 30, os meios de comunicação locais.

A primeira imagem do site oficial bansky.com.uk mostra exatamente o muro em Folkestone, ainda sem a pintura.

Depois que o visitante clica na página, aparece então o desenho.

A obra mostra uma mulher idosa, usando fones de ouvido e que contempla fixamente um pedestal vazio com as mãos nas costas.

Esse novo trabalho de Bansky foi coberto pelas autoridades locais com plástico.

Elas agora trabalham com o proprietário do edifício cuja parede foi contemplada com a obra para buscar uma maneira de protegê-lo.

Trata-se de uma oportunidade tremenda para as pessoas de Folkestone ver um Banksy original”, assinalou hoje Jenney Hollingbee, uma vereadora.

Ela considerou que “se trata de outro motivo para sentir orgulho de Folkestone”.
O mistério que envolve a figura de Banksy, assim como a contundente mensagem de seus trabalhos, que se transformaram em ícones anticapitalistas, aumentaram o interesse e a cotação de suas obras, que nos últimos anos se transformaram em peças de colecionadores.


Colombianos batem recorde de maior degustação de rum do mundo



Um grupo de 313 pessoas participou nesta segunda-feira, 29, na cidade de Cartagena, na Colômbia, da maior degustação de rum do mundo, segundo o livro Guinness dos recordes.

A degustação de runs envelhecidos colombianos aconteceu no Hotel Caribe, um dos mais tradicionais da cidade, onde o público participante, entre eles vários turistas estrangeiros, degustaram um rum branco e três amarelos.

Entre uma e outra degustação da bebida, os participantes puderam provar frituras típicas da gastronomia local.

A atividade foi organizada pela Sociedade Colombiana de Ciências Químicas e contou com a participação de mestres de rum, sommeliers e um representante da organização Guinness World Records, que aprovou e certificou o resultado da prova.



Degustação de runs envelhecidos colombianos aconteceu no Hotel Caribe

Esta é a primeira vez que se realiza uma degustação em massa de rum no mundo, embora já existiam antecedentes com tequila (341 pessoas no México, em 2010), uísque (2.252 pessoas na Bélgica, em 2009), cerveja (322 pessoas no Reino Unido, em 2013) e vinho (5.095 pessoas na Espanha, em 2006), segundo os organizadores.

Durante o ato, foi realizada uma coleta de fundos para ajudar os moradores de São Basílio de Palanque, cidade fundada por escravos no século XVI a cerca de 50 km de Cartagena.

quarta-feira, setembro 24, 2014

Salve seu jantar com ela



Chamou a gata para jantar em casa e não tem ideia do que fazer? Não passe vergonha.

Talvez seja a hora de subir de nível nas habilidades dentro da cozinha e aprender a preparar um risoto de camarão esperto.

O prato é “tiro certo”: é fácil de fazer e você garante o sucesso da noite com a gata.

Presta atenção, gafanhoto, que só vou ensinar uma vez.

# O QUE VOCÊ PRECISA


400 g de camarões frescos e limpos
400 ml de vinho branco seco
3 xícaras (chá) de arroz italiano cru (arbóreo, carnaroli ou vialone nano)
Caldo de camarão (1 cubo)
1/2 xícara (chá) de pimentão verde picado em cubos (pequenos)
1 tomate cortado em cubos pequenos (sem sementes)
120 g de cebola picada
50 g de salsinha picada
120 g de manteiga (gelada)
50 g de queijo parmesão ralado
1/2 limão em caldo/suco
1 dente de alho (picado)
Azeite de oliva
Sal
Folhas de manjericão.

# MODO DE PREPARO


Camarão:

Tempere o camarão em uma tigela adicionando o caldo/suco de limão e sal a gosto. Após misturar, reserve por 10 minutos.

Enquanto o camarão estiver no tempero, coloque duas colheres (sopa) de azeite de oliva em uma frigideira e aqueça.

Em seguida, adicione o camarão temperado e mexa até grelhar.

Arroz:

Coloque duas colheres (sopa) de azeite de oliva em uma panela.

Aqueça, e em seguida, coloque o alho e a cebola picada na panela e frite.

Após fritar, quando o alho estiver dourado e a cebola atingir o ponto de transparência, adicione o arroz italiano e mexa.

Quando os grãos começarem a grudar no fundo da panela, adicione o vinho branco e continue mexendo.

Coloque o caldo de camarão pronto (fervendo) aos poucos na panela.

Quando o arroz começar a grudar novamente, adicione mais caldo de camarão e repita o procedimento durante 30 minutos.

Quando os grãos de arroz estiverem quase no ponto ideal de cozimento, adicione o tomate e os camarões grelhados na panela e misture bem.

Em seguida, acrescente a manteiga, a salsinha, o manjericão e o queijo parmesão.

# OS SEGREDOS DE UM RISOTO BEM FEITO


Utilize arroz italiano cru (arbóreo, carnaroli ou vialone nano) sem lavar.

Mexa o arroz durante todo o processo para que ele não grude e não queime.

Adicione os líquidos (vinho branco e caldo de camarão) até o final do processo de cozimento do arroz, pois parte é absorvida e outra é evaporada.

Para dar brilho ao prato, coloque a manteiga ainda gelada e mexa rapidamente.

Puro ou misturado?



Danilo Barba

Você já provou gim? Pois vale a pena pensar duas vezes antes de negar o convite.

Uma bebida que serve de base para uma infinidade de drinques, o destilado tem um teor alcoólico bem alto — acima até de bebidas que já são consideradas fortes, como o uísque.

Perfeito para misturar com cítricos, ele consagrou diversos títulos famosos no universo dos coquetéis, como o dry martini, Tom Collins e, obviamente, o saudoso gim-tônica.

Conheça a seguir os segredos por trás da bebida feita com zimbro e outras especiarias inusitadas, como amêndoas, flores e até caramelo.

1) Em essência, ele tem sabor de vodka

O gim é uma bebida destilada e naturalmente aromatizada com zimbro e outras plantas, seja durante ou após o processo de destilação — de certa forma, o gim tem sabor original bem próximo ao da vodka.

2) Sua origem é holandesa

Apesar de geralmente ser associado à Inglaterrra (onde é a bebida nacional), o gim veio originalmente da Holanda, trazido para Londres pelo rei Guilherme III.

3) Gim foi feito para ser misturado

Ao contrário da tequila ou do uísque, o gim é usado quase que exclusivamente em drinques misturados.

4) Bartenders adoram a bebida

E há um motivo para que ele seja feito para ser misturado no fim das contas.

Por causa de seus delicados sabores botânicos, o gim se mistura bem e seus sabores são ampliados quando combinados com outros ingredientes.

Na verdade, drinques mais clássicos contém mais gim do que qualquer outra bebida de base. Mas não agite: mexa.

5) Gim com tônica começou na medicina

A lenda conta que nos anos 1850, soldados navais ingleses bebiam água tônica, que naquela época continha quinina, para prevenir o escorbuto.

Eles costumavam acrescentar gim para tornar o sabor amargo mais palatável, dando origem ao drinque que viria a se tornar um clássico.

6) A qualidade do gim também varia com a localidade

O gim Plymouth, por exemplo, só pode ser produzido em Plymouth, Inglaterra. Mesmo que o estilo seja imitado em outros lugares, pela lei ele não pode sustentar o título.

8) Na Amérrica, o gin decolou nos anos 1920s

Por causa desse tipo de proibição, o gim se tornou uma bebida vendida em bares clandestinos, conhecidos como “speakeasy”.

Dizem as más línguas que muitos faziam o gin na banheira da própria casa, mas que o sabor não era lá essas coisas.

9) James Bond matou o clássico martini

O martini original era feito exclusivamente com gim e vermute, não vodka.

No entanto, com o declínio da popularidade do gim nos anos 1950, combinado a uma espécie de mantra “batido, não mexido”, a vodka se tornou uma opção viável.

10) Mas o gim ainda tem seus momentos na cultura pop

Esta frase, por exemplo, foi eleita pelo Instituto Americano de Cinema como 67ª melhor já pronunciada na telona.

11) Alguns curtem misturá-lo com suco

As cítricas sãos as mais recomendadas para valorizar o sabor da bebida.

12) Se você estiver no clima, tente um Churchill Martini

O primeiro ministro Winston Churchill desdenhava abertamente o vermute, ou simplesmente amava gim, ao ponto de seus martinis serem apenas um copo de martini com gim até as bordas.

13) Sucesso nas Filipinas

Apesar dos norte-americanos serem reconhecidamente grandes apreciadores do gim, mais de 24 milhões de filipinos consomem a bebida.

Neste quesito, os Estados Unidos estão em segundo lugar.

14) Também é conhecido como a “Ruína da Mãe”

No ápice de sua popularidade inglesa, o gim era considerado bebida de pobre e consumido em taxas alarmantes, o que promoveu a criação de leis para controlar a bebedeira geral.

Foi aí que começaram a circular boatos de que beber gim causaria infertilidade e esterilidade.

15) Existe o Dia Mundial do Gim

O primeiro foi em 2008. O mais recente aconteceu no dia 14 de junho. 

Amor mais que perfeito


Fecho os olhos pra não ver passar o tempo
Sinto falta de você...
Anjo bom, amor perfeito no meu peito
Sem você não sei viver


Então vem
Que eu conto os dias, conto as horas pra te ver
Eu não consigo te esquecer
Cada minuto é muito tempo sem você, sem você...


Os segundos vão passando lentamente
Não tem hora pra chegar
Até quando te amando,te querendo
Coração quer te encontrar


Então vem...
Que nos teus braços esse amor é uma canção
Eu não consigo te esquecer
Cada minuto é muito tempo sem você, sem você...


Eu não vou saber me acostumar
Sem suas mãos pra me acalmar
Sem seu olhar pra me entender
Sem seu carinho, amor, sem você


Vem me tirar da solidão,
Fazer feliz meu coração
Já não importa quem errou
O que passou, passou


terça-feira, setembro 23, 2014

A namorada e o monstro


Ricardo Coiro

Caro leitor, eu gostaria muito de usar o espaço da coluna de hoje para desabafar com você. Posso?

É que a minha mulher é a bipolaridade em pessoa. A sua também é assim? Estou ficando cada dia mais preocupado. E careca.

Na semana passada, do nada, ela se desfez da costumeira meiguice e começou a agir como se estivesse possuída pelo Capiroto. Você precisava ver! Ou melhor, tem sorte por não ter visto.

O que desencadeou a mutação dos infernos? Uma pergunta que ela me fez:

Amorzinho, me conta alguma fantasia que você tem e que ainda não realizou?
Até aí, tudo normal. Certo? Então, para não chocá-la, eu confessei a minha fantasia mais leve:

Eu gostaria de transar com você em uma praia deserta.

Amor, pode se abrir comigo. Eu sou a sua namorada e quero conhecer você de verdade, inteiro! – ela me encorajou, ainda com olhar afetuoso e sorriso terno.

Um ménage à trois! – falei com dificuldade na pronúncia e levemente eufórico.

Ah é? Que legal, querido! – ela me disse, com entonação de quem havia, de fato, curtido a ideia.

E com quem?
Com alguma mulher bem gostosa.

Sim, isso eu sei. Mas qual?

Ah, amor, com várias.

Com alguma amiga minha?

Amiga? Não, não! – menti. E tentei, em vão, mudar de assunto.

Não vou ficar brava. Pode me contar sem medo – ela me incentivou.

Só com a Renatinha.

Foi aí que o surto psicótico começou e que a voz dela, em um milésimo, foi de Sandy para Ivete.

Renatinha? Então você quer comer a Renata? Quer o telefone dela? Eu passo! Quer que eu anote na sua pele com a nossa faca nova? É só me dizer, seu cachorro.

Daí para frente as coisas só foram piorando e a minha gagueira, obviamente, aumentando. Depois de muitos gritos e portas batidas, terminei no sofá. E ela, aos prantos, em nossa cama.

No dia seguinte, contrariando todas as minhas expectativas, ela me acordou com o beijo na testa e me pediu desculpas. Disse-me que perdeu o controle e coisa e tal. Aquele papinho besta. Eu a perdoei, como sempre. Então ela sugeriu que fôssemos almoçar fora e foi para o quarto se arrumar.

Três horas depois...

Amor, este vestido está bom?

Está lindo! – afirmei como se estivesse admirando um carro recém-polido.

Eu sei quando você está mentindo, Pedro Henrique.

Mentindo? Não estou, amor. Eu realmente gostei do vestido. Odeio quando você diz que a minha roupa está boa só para sairmos logo de casa – ela me disse, e, novamente, trancou-se no quarto.

Duas horas depois ela voltou, trajando peças totalmente diferentes. O vestido e a rasteirinha haviam cedido o lugar a uma calça jeans mais larga do que as minhas e a um tênis com salto interno que deixa a mulher com pé de dinossauro.

Seja sincero, agora eu estou bem?

Se ela deseja sinceridade, sinceridade ela terá, pensei. E respondi:

Prefiro o vestido.

Você é foda, Pedro Henrique. Não me ajuda. Já são quase seis da tarde e ainda nem almoçamos. Custa facilitar um pouco as coisas?

Fiquei perplexo. Nem gaguejar eu consegui. Senti-me mais injustiçado do que inocente condenado à pena de morte. E sabe o mais assustador, irmão? Não era TPM. Como eu sei? Eu anoto os dias de TPM em minha agenda.

Minha mulher é realmente muito estranha. A sua é assim também? Se for, irmão, azar o nosso. Ah, então você é gay? Bom, tirando o pinto que você encara e o fato de você beijar seres com barba, parece bem mais seguro e com menor chance de surpresas.

O que mais a minha mulher faz?

Vive a dizer que não se veste para os outros, mas, quando eu digo – por livre e espontânea pressão – que a roupa dela não está boa, ela tem chiliques homéricos e ameaça cortar os pulsos com uma faca descartável.

Ela pede sinceridade, mas, em quase todas as vezes em que sou completamente sincero, ela me xinga até me fazer optar pela mentira. E quando descobre que eu menti, ela chora, indignada, pedindo sinceridade e dizendo que assim não dá.

Quer mais um sintoma claro de multipersonalidade dela?

Minha mulher, todos os dias, incentiva-me a sair com os meus amigos. Ela diz que é importante para mim e blábláblá. Entretanto, quando eu finalmente saio com eles, ela age como se eu estivesse cometendo um crime hediondo, e, o que é pior, promete vinganças:

Você vai ver, Pedro Henrique! Semana que vem, sem falta, eu irei ao clube das mulheres com as minhas amigas!

Pode ir.

Ah é? Você não liga? E se eu disser que eu vou deixar um negão esfregar a jeba na minha lomba?

Aí já é demais, né?

Viu só como eu me sinto?

O que uma coisa tem a ver com a outra, Carol? Eu estou apenas tomando uma cerveja com os meus amigos! Não tem nenhuma mulher esfregando a pepeca na minha cara.

Eu já disse que odeio você com todas as minhas forças? – ela me diz, antes de desligar o telefone na minha cara. E de me motivar a trocar a cerveja pela pinga.

Aí, como sempre, eu volto bêbado, tomo um puta esculacho e vou direto ao sofá. E, no dia seguinte, acordo morrendo de medo de descobrir que o meu pau foi colado no umbigo com SuperBonder, mas, milagrosamente, geralmente ouço algo como:

Bom dia, amor, dormiu bem? Eu fiz ovos mexidos para você. E suco de laranja.

Ela só pode ter uma irmã gêmea. Ou o miolo mole. 

Acho que vou fugir para as montanhas. 

Antes de casar, viaje



Danilo Barba

Quando chega a hora de mandar um brother para a escravidão do matrimônio com estilo, alguns lugares são bem superiores aos outros.

Tudo bem, embora a cidade do pecado venha logo à cabeça, dificilmente Las Vegas é a única opção para um momento tão grandioso.

Se você e a sua turma pretendem viajar um pouco, aqui vão seis lugares fantásticos pra passar a despedida de solteiro: verdadeiros paraísos das festas universitárias.

1. Amsterdã


É pra lá que os homens vão pra curtir sua última noite de liberdade.

Sim, há maconha, prostitutas a rolê e meninas gostosas viciadas em stand-up paddle.

Mas a Holanda produz outras coisas maravilhosas também, incluindo times de futebol, bicicletas e – o melhor – cerveja.

O país é a terra natal de marcas como Heineken e a Amstel Light, além de abrigar outras destilarias emblemáticas como a Nolet e a Ketel One.

Amsterdã é perfeita pra dar um rolê e admirar os moinhos de vento, além de degustar a melhor vodka do planeta...

2. Atlantic City


Curta o visual das dançarinas do famoso Royal Jelly Burlesque Nightclub no Revel Resorts and Casino.

A cidade norte-americana oferece tantas coisas legais quanto Vegas: apostas, bebidas e mulheres em trajes curtíssimos.

Além do mais, sua ressaca é bem menos dolorosa quando você tem uma belíssima vista do oceano na janela.

Aqui o seu mau comportamento atende a uma boa causa: a grana que você gasta lá é revertida em donativos para a área devastada pelo furacão Sandy.

3. Vancouver


Muita gente venera as maravilhas de Montreal – e suas strippers de contato total – mas ela não é a única cidade canadense que sabe festar pra valer.

Vancouver é considerada a Amsterdã da América do Norte, e não somente em termos de prostituição e drogas.

Trata-se de um maravilhoso parque de diversões para homens feitos que anseiam por bons momentos: bares, bares e mais bares, acompanhados de comida singular e clima europeu.

Isso sem falar nas mulheres lindas e a pista de ski Grouse Mountain.

Fãs de Blade Runner e William Gibson, anotem – Vancouver é o mais perto que você vai chegar de entrar num romance cyberpunk.

No bom sentido, é claro!

4. Tijuana


É melhor adiantarmos: não existem shows para idiotas em Tijuana…a festa está nos subúrbios.

Em compensação, as mulheres são maravilhosas e há bares em qualquer esquina com cerveja que custa três centavos o pint, sem falar na autêntica lucha libre.

Seu estômago provavelmente não vai conseguir aguentar o que eles põem na comida vendida nas ruas, então é bom não exagerar.

Dica: se alguém pedir pra você passar pela fronteira com um pacote, recuse de maneira educada (porém firme).

5. New York City


Literalmente, não há nada que você não possa fazer, ver ou comprar em Nova York.

E Ol’ Blue Eyes não estava brincando quando a chamou de a cidade que nunca dorme: praticamente qualquer bar fica aberto até quatro horas da manhã.

Apesar de Rudy Giulani ter limpado a Times Square, ainda há uma porção de clubes de cavalheiros pela cidade.

Um dos mais cobiçados é o Rick’s Cabaret, que durante a tarde recebe centenas de garotas que se apresentam de uma vez só.

E as compras? Well, não falamos em compras porque existem centenas de outras coisas mais divertidas pra fazer por lá.

6. New Orleans


Embora a cidade tenha sido duramente atingida pelo Katrina (e não foi completamente restaurada mesmo cinco anos depois), ainda há inúmeras coisas pra fazer, ver e beber.

Não, não existe nada que substitua a comida e a música Cajun.

E como qualquer um que já assistiu Girls Gone Wild sabe, a versão do Big Easy’s do Mardi Gras (final de fevereiro/início de março) é simplesmente épica.

Mas esqueça aquele lance de Easy Rider de viajar com bolinhas num cemitério e choramingar sobre como seu pai não te ama.

Isso já foi feito. 

Homem do futuro terá olhos vermelhos, cérebro grande e pau pequeno


Quando se pensa na evolução das espécies, é normal remeter-se ao passado e a outras espécies animais.

Poucas vezes tomamos consciência de que o humano está em pleno caminho evolutivo, e as condições de vida e organização social podem afetar a forma do corpo da espécie.

É nessa perspectiva que está focado um estudo realizado pelo doutor em antropologia evolutiva Cadell Last, investigador do Instituto Global do Cérebro.

Segundo ele, neste instante preciso da história, o humano se encontra em um momento crucial de sua evolução, a ponto de ser comparado à etapa de transição entre os símios e os humanos.

Essa noção se baseia na certeza de que, por exemplo, em menos de um século, a longevidade de nossa espécie aumentou quase 100%, a que se soma a influência das novas tecnologias.

Esse combo de transformações aceleradas e novas formas de vida fariam com que o humano do futuro, notadamente diferente do de hoje, surgisse na história em um futuro próximo.

De acordo com os cálculos de Last, no ano de 2050, as pessoas poderão viver até os 120 anos. Isso trará outras mudanças, já que a reprodução se atrasará e os nascimentos reduzirão.

O homem do futuro, segundo essa previsão, será mais afetado pela cultura que pela biologia, como por exemplo, o avanço da tecnologia, que estará onipresente nas tarefas cotidianas e na comunicação.

Por conta dessas modificações, um homem da metade da década de 2050 terá olhos vermelhos, um pênis menor, um cérebro maior, mais habilidades linguísticas e implantes que melhorem suas faculdades físicas.

segunda-feira, setembro 22, 2014

Aécio Neves considera uma vergonha o que está acontecendo na Petrobras


O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, voltou à carga neste domingo contra o governo ao comentar novas denúncias de irregularidades na Petrobras, que teriam o envolvimento de outras diretorias da estatal.

É uma vergonha o que está acontecendo em nossa maior empresa, é vergonhosa a governança que deixaram acontecer na Petrobras, com denúncia atrás de denúncia. Agora diz o delator que existem outros diretores envolvidos nessas denúncias”, disse Aécio durante visita à Feira de Tradições Nordestinas, no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro.

De acordo com reportagem publicada no sábado pelo jornal Folha de S. Paulo, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa falou nos depoimentos à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal sobre irregularidades praticadas na diretoria de Serviços e Engenharia e na divisão internacional durante o período em que integrou a cúpula da estatal, de 2004 a 2012.

Há duas semanas vazamentos de depoimentos de Costa publicados na mídia apontaram para um suposto esquema de propinas envolvendo políticos e partidos da base governista.

Nós vamos investigar isso em profundidade. Nosso papel é cobrar que a investigações vão a fundo”, acrescentou o tucano.

Aécio aproveitou também para reforçar as principais linhas de ataque que vêm usando contra a presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição e que para ele representa um fracasso no campo econômico e ético, e contra Marina Silva (PSB), pelo que ele vê como uma candidatura com crescentes contradições.

Tenho muita convicção que no dia 5 de outubro, pelo voto responsável da maioria dos brasileiros, nós vamos estar no segundo turno, para encerrar este ciclo de governo do PT que aí está”, disse Aécio ao comentar o terreno que recuperou nas últimas pesquisas de intenção de voto para o primeiro turno divulgadas pelos principais institutos.

Eu tenho muita confiança de que esse ciclo de governo do PT que tão mal vem fazendo ao Brasil, inclusive na questão ética, vai ser encerrado”, acrescentou.

Pesquisas Ibope e Datafolha divulgadas na última semana mostraram que o tucano foi o único candidato a recuperar terreno nas intenções de voto para o primeiro turno, mas ele continuava bem atrás de Marina, segunda colocada.

Nas simulações de segundo turno, apesar de ter reduzido pela metade a vantagem de Dilma, segundo o Ibope, ele continua perdendo para a presidente, enquanto a candidata do PSB tem vantagem numérica contra a petista, ainda que em empate técnico, nas duas sondagens.

Sempre acompanhado pelo cantor Fagner, natural de Orós (CE), durante sua caminhada pela feira, Aécio almoçou pratos típicos do Nordeste e, depois de ser nomeado “cidadão nordestino” pela administração do local, chegou a parar para pedir a benção a uma imagem do Padre Cícero, a quem solicitou ajuda para enfrentar “o que vier pela frente”.

Ainda quando falava com os jornalistas, Aécio voltou a criticar o governo do PT por sua política externa em relação aos países vizinhos.

Como presidente da República vou assumir a coordenação de nossa política nacional de segurança, com o controle de nossas fronteiras pelas Forças Armadas e a Polícia Federal, porque o Brasil não é produtor de drogas”, disse ao comentar o “genocídio da juventude negra” envolvida com o tráfico.

Eu conduzirei uma política externa não para ser ditado pelos nossos vizinhos como faz o PT, mas para ser respeitado por eles”, acrescentou.

Dinheiro falso


J.R. Guzzo

Governos que mentem para o público o tempo todo acabam mais cedo ou mais tarde mentindo para si mesmos e, pior ainda, acreditando nas mentiras que dizem; o resultado é que sempre chegam a uma situação em que não sabem mais fazer a diferença entre o que é verdadeiro e o que é falso.

Eis aí onde veio parar o governo da presidente Dilma Rousseff nestes momentos decisivos da campanha eleitoral.

Muito pouco do que está dizendo faz nexo – resultado inevitável do hábito, desenvolvido já há doze anos, de navegar com o piloto automático cravado na contrafação dos fatos e na falsificação das realidades.

Entre atender à sua consciência e atender a seus interesses, o governo jogou todas as fichas na segunda alternativa, ao se convencer de que seria muito mais proveitoso tapear o maior número possível de brasileiros com a invenção de virtudes do que ganhar seu apoio com a demonstração de resultados.

Não compensa: para que fazer toda essa força se dá para comprar admiração, cartaz e votos com dinheiro falso?

Foi o que concluíram, lá atrás, os atuais donos do país.

Agora, como viciados em substâncias tóxicas, vivem na dependência da embromação; está muito tarde para mudar, e a única opção é continuar mentindo até o dia das eleições.

Sua esperança é que a maioria dos eleitores, como acontece com frequência, ache mais fácil acreditar do que compreender.

Para se ter uma ideia de onde foram amarrar nosso burro: o estado-maior da campanha de Dilma considerou que sua vitória mais importante no primeiro debate entre os candidatos foi ter escapado “de todas as perguntas difíceis”.

É triste. Quando a verdade é substituída pelo silêncio, ensina o poeta Ievgeni Ievtushenko, o silêncio torna-se uma mentira – talvez seja, aliás, sua modalidade mais eficiente.

A partir daí, vale tudo, e por conta disso os brasileiros têm ouvido as coisas mais extraordinárias por parte do governo.

Os candidatos da oposição, sobretudo Aécio Neves, foram publicamente acusados, por exemplo, de já terem decidido fazer uma recessão econômica se forem eleitos; no mesmo momento, comicamente, saíram os resultados da economia nos primeiros seis meses de 2014, mostrando que o Brasil andou para trás nos dois primeiros trimestres do ano.

Ou seja: a recessão que os adversários iriam provocar no futuro já está sendo praticada pelo governo Dilma no presente.

Na média dos seus quatro anos, por sinal, será o pior desempenho econômico do Brasil desde o presidente Floriano Peixoto.

Diante dos canais de concreto em ruínas na obra de transposição do Rio São Francisco, que, segundo as mais solenes promessas do ex-presidente Lula, estaria pronta em 2010, depois em 2012 e hoje é um mistério em termos de prazo, Dilma disse em sua propaganda eleitoral que a culpa do atraso é da “curva do aprendizado” – ou seja, pelo que dá para entender, ainda não aprendemos a fazer direito esse tipo de coisa.

Ainda? O Canal de Suez está pronto desde 1869, o do Panamá desde 1914; será que já não deu tempo de aprender?

A Ferrovia Norte-Sul, que vem sendo construída pelos governos Lula-Dilma desde 2005, e que foi inaugurada mais uma vez em maio, continua fechada ao tráfego de trens, por falta de equipamentos – para piorar, ladrões vêm roubando os trilhos.

São os únicos, além das empreiteiras, para quem a ferrovia tem tido alguma utilidade.

O programa de formação de mão de obra técnica, descrito como “o maior do mundo”, formou até agora mais de 100 000 recepcionistas e manicures – o triplo do número de mecânicos.

Em suma: já nem é mais um caso de mau governo. É anarquia.

Um dos diretores mais influentes da Petrobras durante o governo do PT, tão graduado que assumiu 24 vezes a presidência da empresa em substituição aos titulares, está na cadeia desde março, entalado em espetaculares denúncias de corrupção; foi figura-chave na tenebrosa compra da refinaria americana de Pasadena e está no centro da investigação sobre as negociatas na construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, um pesadelo cujo custo final pode passar dos 20 bilhões de dólares.

Indagada a respeito, Dilma nada respondeu.

Preferiu dizer que o grande problema da empresa foi a sugestão, feita no governo Fernando Henrique, de trocar o nome da Petrobras para “Petrobrax” – apenas uma ideia tola, de vida curtíssima e sem importância nenhuma.

E a economia parada?

Eu criei 5,5 milhões de empregos”, diz a candidata.

Como assim – “eu criei”?

Uma mentira começa com o ato de fazer o que é falso parecer verdadeiro. Acaba deste jeito: em alucinação.

A xacina do testo


Roberto Pompeu de Toledo

Apezar da xuva, muita jente esteve prezente ao ezersisio de jinastica qe teve lugar no colejio. Omens, mulheres e criansas no fim cantaram o Ino Nasional. Ouve pesoas qe ate xoraram de emosão cuando a festa terminou. Oje qem qiser pode asistir a nova aprezentasão.

A impressão é de escombros do que foi outrora a língua portuguesa em sua forma escrita. Como se tivesse sido atingida por uma bomba e alguns destroços irreconhecíveis houvessem sido resgatados da hecatombe.

A comparação não é absurda. Tem o efeito de uma bomba a radical reforma ortográfica defendida pelo site Simplificando a Ortografia (simplificandoaortografia.com), criado pelo professor de português Ernani Pimentel.

Sua proposta é acabar com letras que não se pronunciam, como o “H” no início de certas palavras e o “U” que se segue ao “Q” em “quintal” e “querido”, assim como a duplicidade de representação do mesmo som em “S” e “Z”, “SS” e “Ç” ou “G” e “J”.

Não é uma proposta inovadora. Para citar uma das que já se apresentaram com espírito semelhante no passado, o general Bertoldo Klinger, figura preeminente da Era Vargas, não só formulou a sua como a praticou – ele grafava seus textos segundo as regras que inventou.

O general (aliás, jeneral) Klinger, em quem o reformador da língua escrita se misturava ao reformador do povo brasileiro, explicava: “Ortografia é lojica. Lojica é ordem. Sem ordem não a nasão. Logo, não a nasão sem ortografia lojica”.


O site do professor Ernani Pimentel podia passar por uma excêntrica curiosidade, tal qual a reforma de Klinger, não fossem duas circunstâncias.

Primeira: a de Pimentel ter sido nomeado um dos dois coordenadores (o outro é o professor Pasquale Cipro Neto) do Grupo Técnico criado na Comissão de Educação do Senado para discutir o Acordo Ortográfico entre os países de língua portuguesa.

Segunda: a de vivermos tempos propícios aos populismos/paternalismos. A “simplificação” da ortografia tem sido enfeitada com o charme mais do que discutível de facilitador da alfabetização e fator de “inclusão social”.

Essa história tem origem nas discórdias que se seguiram à assinatura, em 1990, do Acordo Ortográfico pelo qual os países de língua portuguesa se comprometeram a unificar suas regras ortográficas.

Restrições surgiram em todos os países signatários. No Brasil o acordo deveria entrar em vigor em 2009, e na prática realmente entrou, com sua adoção nas escolas, na imprensa e nas editoras de livros.

Oficialmente, no entanto, dadas as divergências com os outros países, a presidente Dilma Rousseff adiou a entrada em vigor para 2016.

Nesse vácuo entrou a Comissão de Educação do Senado.

Decidiu rediscutir o acordo e criou um grupo de trabalho que tanto pode acabar por confirmá-lo ou rejeitá-lo quanto – o que é pior – propor uma reforma de sua própria iniciativa.

Segundo o presidente da comissão, senador Cyro Miranda (PSDB-GO), o acordo teria sido feito “sem ouvir ninguém”.

A comissão resolveu então “botar ordem na casa”, convocando o debate.

Daí ao encanto com a proposta do professor Ernani Pimentel foi um passo.

Estou totalmente de acordo com o professor Ernani”, declara o senador Cristovam Buarque, membro da Comissão de Educação, segundo se lê no site do professor.

Duas audiências públicas serão realizadas pelo Grupo de Trabalho da Comissão de Educação na primeira quinzena de outubro.

Espera-se que, nelas, falem mais alto as palavras da professora Marília Ferreira, presidente da Associação Brasileira de Linguística, em carta ao senador Cristovam Buarque: “A ortografia não existe para representar a fala, mas é uma representação abstrata e convencional da língua. Para poder ser de fato funcional, a ortografia deve necessariamente afastar-se da diversidade da fala. Só assim se poderá garantir um sistema ortográfico estável e perene em que haja uma única representação gráfica para cada palavra. É essa representação única que torna possível que a palavra seja reconhecida em qualquer texto, independentemente de suas inúmeras pronúncias no espaço e no tempo”.

A alternativa é a xacina do testo em língua portugueza. A anarqia. A ecatombe.