segunda-feira, novembro 07, 2011

Como carcar uma piriguete (Final)


Comece devagar – Nem pense em chegar no “enfim sós” e já ir tentando abaixar a calcinha dela com os dentes.

Piriguetes adoram as preliminares.

Você não sabe do que se trata?

Puta que pariu, gafanhoto, então compre o Manual do Espada (Editora Valer, 1999) e vá direto ao capítulo oito (“Os brutos também amam”).

Mas atenção para não ficar babando na xoxota, na orelha ou no pescoço da piriguete feito um cachorro com hidrofobia.

Suaves lambidinhas surtem o mesmo efeito, meu chapa!

Sussurros, também.


Acabou ou vai ter mais? – Depois de tudo, nada mais deselegante que virar as costas e acender um cigarro.

Fique pelo menos um ou dois minutos com a piriguete em seus braços, fazendo massagem sueca em seu couro cabeludo, e só então fuja da cama para o tal cigarrinho.

Evite perguntas sobre o seu desempenho e também não precisa contar sobre as outras piriguetes com quem saiu na noite anterior.

Nesse momento, pegar no sono é crime inafiançável.


Não fuja da raia – Se você faz a linha filho-único-que-mora-em-Jaçanã e está encafifado em um motel, nem pense em pular da cama, vestir-se e sair correndo.

Faça pelo menos uma cerinha de meia hora.

Agora, se a transa está rolando na sua casa, não tem nada demais armar uma rede no quarto e esconder-se dentro dela, deixando a cama inteiramente para a piriguete.


Como saber se uma piriguete atingiu o orgasmo? – Basta perguntar ao cabeleireiro dela no dia seguinte.

Mas não pergunte diretamente, vá com calma, evite o velho mico de se expor em demasia.

Apenas procure saber, discretamente, se ela foi ao cabeleireiro no dia seguinte.

Quando uma piriguete chega no salão dizendo “Quero mudar tudo!” é porque você pisou na bola.

Ou pisou no baço dela, tentando imitar aquela posição do “encantador de serpentes” e se deu mal.


Como se livrar de um beijo oferecido na hora errada? – Por “hora errada” entenda-se “logo após o sexo oral”.

Algumas piriguetes têm essa mania: depois de nos satisfazerem com sexo oral, testam nossa coragem oferecendo um apaixonado beijo na boca.

A solução é simples: dê um abraço apertado em volta do pescoço dela, mantendo seu rosto colado no rosto da vadia.

Nessa nova versão para o americaníssimo “cheek-to-cheek” é impossível que se dê o encontro das bocas.

Se ela ficar desconfiada, aperte mais forte.

Se ela continuar desconfiada, aperte até o fim.

Um bom advogado criminalista pode custar menos que o beijo.


Como pedir para virar o disco sem ser agressivo? – Enquanto estiverem se abraçando, aperte carinhosamente seus (dela) tendões do pescoço, próximos da clavícula.

Com ar de quem conhece tudo de medicina chinesa, fale que ela está muito estressada.

Ofereça-se para lhe fazer uma massagem nas costas.

Coloque-a de bruços e lambuze-a de creme hidratante.

Com as duas mãos espalmadas, faça movimentos circulares fingindo espalhar o creme sobre as omoplatas, mas na verdade encaminhando o líquido para a espinha dorsal.

A força da gravidade vai se encarregar de levar o creme através da espinha dorsal até o buraco negro lá embaixo.

Quando ela ficar bem relaxada, você posiciona a espada de Eros no lugar correto e manda ver.

Se ela reclamar, fale que não está ouvindo direito, deixe seu peso todo cair sobre a dita cuja e aproxime seu ouvido da boca da piriguete.

Esse movimento vai fazer seu pau entrar até os ovos.

Claro que ela vai te xingar de filho da puta, mas e daí?

O importante é que você está por dentro das coisas.

Ou melhor, por dentro das coxas.

E não vai sair de cima nem pelo caralho.


Como oferecer o dinheiro do táxi? – Nessa época politicamente correta, a honestidade é muito valorizada.

Antes de transar, explique a ela com toda franqueza: “Meu amor, aqui no criado-mudo há três gavetas: uma com dinheiro para táxi especial, outra para táxi comum e uma terceira com vale-transporte.

Gostaria de informar que, conforme seu desempenho, você terá direito a uma das três formas de voltar para casa.

É que, depois que eu estiver satisfeito, vou achar você uma pessoa bastante desinteressante, quase inútil, e desejar, ardentemente, que você suma da minha frente.

Mas uma ajuda para o transporte é sempre um gesto humanitário”.

Se ela der um tapa na sua cara e sair correndo furiosa, não faz mal: isso quer dizer apenas que ela é uma piriguete muito mal-educada.


Como saber se a piriguete está “naqueles dias”? – É um assunto muito íntimo, muito difícil de se perguntar assim, na lata.

Você vai precisar de ajuda.

Peça para o seu melhor amigo dormir com ela primeiro e depois te contar.


Como saber se a piriguete vai ligar amanhã? – Nunca se sabe realmente se ela vai ligar (99% de chance) ou não ligar (1% de chance).

Na dúvida, dê o número errado.


Como dizer a ela que seu perfume é insuportável sem ser grosseiro? – Quando estiver dando um amasso nela dentro do carro, respire fundo e diga: “Que tal transarmos ao ar livre?”

Ela responderá: “Mas estamos em frente ao Aterro Sanitário da Prefeitura, onde o cheiro do chorume é insuportável”.

E você: “Então, que tal transarmos ao ar livre?”


Como explicar uma brochada? – Com exceção do Ziraldo, que nunca brochou, você sabe que um dia o carburador vai falhar.

Explique a ela que você escolheu o dia para não ser pego de surpresa e que qualquer dia desses, você paga em dobro.

Isso depois de ela assinar um termo de compromisso garantindo que não vai contar pra ninguém.


Durma bem – Digamos que você decidiu literalmente passar a noite ao lado da piriguete.

Arrume um jeito de controlar-se, pois roncar, babar e expelir gases durante o sono, sem putaria, são coisas imperdoáveis e decisivas!!!

Aliás, disso depende o repeteco.


Bafo de onça – Evite todo e qualquer “cheek-to-cheek” ao acordar e dê um jeito de escovar os dentes antes de dar bom-dia.

Nesse momento, é óbvio que a piriguete já se levantou 15 minutos antes, tirou o bafão, penteou os cabelos, retocou a maquiagem e voltou para a cama fingindo que acabou de acordar.

Se não der para escovar os dentes, sussurre em seu ouvido e evite os beijos na boca.

O bafão da ressaca é insuportável, mesmo que você tente disfarçar chupando drops Halls extraforte.


Momento íntimo – Chegou a hora de fazer sua higiene pessoal no banheiro, ou seja, escovar os dentes, lavar a pomba e soltar o barro.

Mas, por favor, faça de portas fechadas.

Não pode existir nada mais deselegante para uma piriguete do que se deparar, na primeira hora do dia, com um sujeito despenteado, cara de anteontem, cheio de remelas, sentado no vaso sanitário bancando o pensador.

Também não se esqueça de dar descarga no vaso, seu porco!

Ah, sim: escarrar no chão e assoar o nariz com os dedos está proibido, pelo menos neste primeiro encontro.

Agora, se você gostou realmente da performance da piriguete, prepare um café regional para os dois. Elas adoram.


Como preparar um café regional? – Abra o catálogo telefônico nas páginas amarelas, identifique qual deles entrega em domicílio e manda ver, mané!

Ou melhor, manda vir.

Nenhum comentário: