terça-feira, novembro 08, 2011

Eram os deuses astronautas? (Final)


Mas se a idéia de um multiverso gigante lhe parece simpática você vai gostar da teoria da inflação.

Essa tese, uma das mais quentes da ciência, afirma que a criação foi muito mais espetacular do que sonhavam os teóricos do big-bang.

Seu corolário é que múltiplos universos novos surgem constantemente e assim será por toda a eternidade.

No modelo-padrão do big-bang, a matéria que vai formar o universo é pré-existente, condensada numa singularidade ou fervendo numa matéria superquente.

Na teoria do universo inflacionário, tudo o que havia antes era um falso vácuo, uma região transparente estalando de promessas quântico-mecânicas.

Dentro desse falso vácuo havia potencial para vastas quantidades de partículas virtuais, unidades subatômicas que às vezes surgem do nada.


Havia potencial para flutuações quânticas, que algumas vezes fazem o mundo subatômico mudar de condições sem motivo.

Finalmente, havia potencial para vastas quantidades de constantes cosmológicas, a força que parece estar dissociando o universo.

Segundo a teoria, pouco antes do big-bang esse falso vácuo estava girando num nível inferior de energia.

Ocasionalmente, passava por flutuações rotineiras de quantum, a maioria das quais, como costuma ocorrer nas mudanças quânticas, era irrelevante.

Mas elas podem também ser sensacionais e, no curso de eons, uma delas atingiu o falso vácuo, fazendo com que tudo se desunisse.

Fantásticos níveis de gravidade foram liberados, momentaneamente curvando o universo nascente em tal grau que as partículas virtuais se materializaram em números impressionantes.

A força de repulsão da gravidade foi liberada, impelindo tudo o que estava à sua volta em todas as direções.

Partículas e energia foram criadas de forma tão prodigiosa que o novo universo não teve saída senão ocupar todo o espaço e ele se expandiu numa torrente de puro efeito físico.


Modelos desajeitados

Essa idéia básica, proposta em 1979 pelo físico russo Alexei Starobinski e desenvolvida e defendida por Guth, do MIT, contém pressupostos que fazem os primeiros modelos do big-bang parecer desajeitados.

De acordo com Guth, o falso vácuo que causou a gênese do universo pode ter sido menor que um próton.

Dessa partícula teria nascido não só o universo observável, mas também uma estrutura muito maior, cujas galáxias podem estar a distâncias incalculáveis, fora do alcance dos telescópios.

O desenvolvimento da teoria do universo inflacionário feito por Guth deixou o mundo da cosmologia de boca aberta.

Enigmas do big-bang pareciam solucionados.

Se, por exemplo, o universo expandiu-se depressa demais, o espaço curvo de Einstein existiria, mas pareceria plano aos nossos olhos.


Vizinhos invisíveis

A teoria inflacionária também pode explicar a natureza homogênea dos céus.

Para onde quer que os cientistas apontem seus instrumentos de observação, o cosmos parece o mesmo, sem muralhas bizarras separando universos alternativos.

Se outros universos se expandissem a partir do nosso com velocidade inflacionária, não veríamos nenhuma evidência de sua existência e jamais poderíamos fazer contato com eles.

Guth afirma que, por mais alucinante que possa parecer sua teoria, seus detalhes eventualmente serão desvendados pelos físicos.


Os avanços da mecânica inflacionária algum dia explicarão o que hoje não passam de desconhecidas leis da física no cosmos recém-nascido.

Mas, por enquanto, a teoria do universo inflacionário repousa sobre teses não comprovadas.

O superenergético falso vácuo, por exemplo, não passa de especulação: pesquisadores detectaram partículas materializando-se do que parece ser o vazio, mas essas aparições são fugazes e diminutas, bem distantes do prelúdio de uma constelação.

“Basicamente, é um mistério como o espaço vazio possa ter energia associada a ele”, resume, britanicamente, Martin Rees.

Um comentário:

moiseslima disse...

Legal! Se quiserem saber mais coisas sobre "Deuses Astronautas" clica no meu nome aê! Sou muito fã de Erich von Däniken e conheci a Teoria do Astronauta do Passado através dele, sou fascinado pelo assunto. Tento ler tudo sobre o tema, no meu blog tem muito material, livros para baixar e vídeos, espero que gostem.