terça-feira, novembro 17, 2009

Rasputin: louco e superdotado


por Adriana Küchler

De onde vinha o poder de Rasputin, o camponês místico e analfabeto que mandava e desmandava na Rússia do czar Nicolau II entre 1905 e 1916?

Desde abril de 2004, o primeiro Museu Erótico da Rússia exibe, como atração principal, uma das possíveis chaves desse mistério: o pênis de 28,5 centímetros do monge.

“Com ele, paramos de invejar os Estados Unidos, que guarda o órgão de Napoleão Bonaparte”, disse ao jornal Pravda Igor Knyazkin, diretor do museu, que comprou a relíquia por 8 mil dólares. “O membro de Napoleão parece uma vagem perto do nosso.”

Entre os pênis que entraram para a história, o de Rasputin é um dos que mais causaram estrago. Enquanto Napoleão tinha fama de impotente, o monge russo arrasava (apesar da longa barba e do tipão Antônio Conselheiro).


Adepto da seita khlysty, que pregava o pecado como melhor forma de redenção, ele ganhou a confiança do czar Nicolau e da czarina Alexandra ao apresentar seus dotes de curandeiro. Quando o místico estava por perto, o pequeno príncipe Aleksey melhorava da hemofilia.

Com livre circulação pela corte, o monge passou a seduzir atrizes, mulheres de soldados e damas da sociedade – os nobres ofereciam suas mulheres em troca de favores. Suspeita-se até que, enquanto Nicolau II liderava batalhas da Primeira Guerra, a própria czarina Alexandra – neta da rainha Vitória, da Inglaterra – tenha caído em suas mãos.

Mas, em uma noite de dezembro de 1916, seu desejo por mulheres o trairia. Rasputin foi convidado pelo príncipe Felix a conhecer sua mulher Irina, a bela sobrinha do czar, e caiu numa armadilha. Foi envenenado, esfaqueado e jogado nas águas geladas do rio Neva. Seu pênis foi cortado e guardado por um serviçal.

“Ainda hoje, acredita-se que ajude a curar a impotência”, diz o diretor do museu, Igor Knyazkin.

A história do pervertido

A trajetória de Grigori Yefimovich Novykhn tem início na década de 1860. Mas há muitas incertezas em relação ao seu nascimento. Especula-se que tenha sido em 23 de janeiro de 1864, na pequena aldeia de Pokrovskoe, Sibéria. Outras fontes afirmam que o ano de seu nascimento está entre 1869 e 1872.

Pobre e parcialmente alfabetizado, o jovem Grigori atravessou sua infância e adolescência na região natal. Provavelmente, ajudando ao pai camponês nas tarefas diárias, e divertindo-se com mulheres, vodka e envolvendo-se em brigas com vizinhos. Por este motivo, logo ganhou o apelido de Rasputinik (Rasputin - equivalente à Pervertido).


Por outro lado, sua terra natal era de religiosidade e misticismo muito intensos. Principalmente porque ali próximo estavam depositados, numa igreja, os restos mortais de São Simão.

O jovem Rasputin cresceu influenciado por esta atmosfera. Conta-se que, em sua juventude, já dava alguns sinais de possuir uma percepção especial, ou capacidade de predizer fatos futuros.

Certa vez, um político chamado Stolypin passava de carruagem por uma estrada. O jovem Rasputin, que passava ao lado, acenou e gritou ao viajante: "A morte é para você. A morte está se aproximando!". Incrivelmente, no dia seguinte, o político foi ferido por balas e morreu dias depois.

Aos 18 anos, Rasputin teve um encontro com o bispo de Barnaull, o qual reforça-lhe a tendência mística.


Casado com Praskovia, Rasputin teve um filho e duas filhas. Sempre em meio a uma atmosfera de mistérios, um dia Rasputin vê uma santa, que ele diz ser a Virgem Maria.

Depois do ocorrido, Rasputin é aconselhado por um homem místico, chamado Makaria, a fazer uma peregrinação ao monte Atos, na Grécia. Rasputin permaneceu em peregrinação durante dois anos.

Voltando a sua terra natal, Rasputin é recebido de braços abertos pelo bispo Theophan, que lhe abre várias portas.

Em 1902, Rasputin desloca-se para a cidade de São Petersburgo e Kazan, onde agregou alguns discípulos e criou um grupo místico denominado Polite Society, baseado nos princípios da Khlysty.

Sua imagem de camponês simples e sem ambição foi significativa para que conquistasse confiança e simpatia junto aos moradores da região. A influência que a Polite Society exercia e o poder de persuasão de Rasputin, amenizavam a fama que seu envolvimento com prostitutas e bebidas lhe atribuía.

Nesse mesmo momento, as autoridades clericais da Rússia procuravam por um líder que transitasse entre a alta classe da sociedade, a nobreza e as classes inferiores, e pudesse reunir todas elas sob a influência da Igreja. Rasputin trazia todas essas características.

Mas sua fama junto aos czares teve início em 1915, quando Anya Vyrubova, amiga próxima da czarina Alexandra Fedorovna, entrou em coma após ferir-se gravemente quando o trem em que viajava descarrilou.

Ana Vyrubova teve as pernas esmagadas e o crânio fraturado, após um acidente ferroviário. Os médicos já não viam chances da moça sobreviver, até que Rasputin chegou ao local e próximo da moça disse: "Anushka, abra os olhos". No mesmo momento ela os abre, e ele diz: "Ela irá viver, mas ficará aleijada".


Mesmo sendo um homem adorado por muitos, Rasputin também tinha os seus inimigos, os quais diziam que o místico se dedicava na maior parte do tempo a participar de orgias infernais.

Um de seus inimigos era o Monge Iliodor, que um dia mandou uma mulher até a casa de Rasputin o esfaquear. Rasputin foi esfaqueado no estomago, mas assim mesmo sobreviveu.

A despótica e mágica força de Rasputin devia-se, inegavelmente, a sua tremenda potência sexual. O czar e a czarina ajoelhavam-se diante dele. Acreditavam ver naquele monge fatal um santo vivente.

É óbvio que Rasputin encontrou o ânimo dos czares muito disposto, graças ao mago francês Papus (Dr. Encause), médico de cabeceira dos soberanos.

Sempre que o príncipe Aleksey sofria de uma crise hemofílica, Raspuntin era chamado, colocava-lhe a mão sobre a testa, rezava umas orações e a crise passava.

Para evitar a angústia da czarina Alexandra que temia pela vida do filho, Rasputin foi convidado a viver no palácio imperial. Deu no que deu.


A família imperial Romanov

4 comentários:

Amapola disse...

Gosto muito dessa história. Já vi documentários na tv cultura, focando a família Romanov,que é interessantíssima.O Rasputin foi citado, é claro, porém com poucos detalhes.
Gostei muito.

célio disse...

legal, pra quem gostou não pode deixar de ler de Ivan Petrowitch o livro Rasputin - o dominador de mulheres. O cara pegou só 4.000 mulheres! Hoje admite-se que ele usava a tecnica da confusão sistematizado por Milton Erickson criador da hipnose ericksoniana.
quem quizer saber como funciona a tecnica entra em contato que eu envio um e-book gratis.
contato@hipnologo.net

Anônimo disse...

meu pinto tem 33,7cm e não tá exposto,talvez quando eu morrer.

Anônimo disse...

vou fazer preçes pra esse cara, pra ver se o meu cresce mais uns 5cm. =]